quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Despedida da Juventude, mas nunca da União nem do Socialismo


Milito na UJS desde 2002. Apesar de ser comunista a mais tempo do que isto considero que foi só na UJS que calcifiquei amplamente minha consciência revolucionária.

Posso encher a boca e dizer que tive a honra de militar na principal escola política do Brasil, formadora de quadros de grande relevo na sociedade. E que tive grandes lições, como aprender a lidar com a diversidade das idéias e avançar nestas contradições, a experiência de lidar com outros partidos, com o exercício do convencimento à adesão de nossas idéias e projetos. Além de tudo isto, a UJS me mostrou a grandiosidade do Estado de São Paulo quando conheci de perto dezenas de cidades, acumulando muito com isto. Se não fosse a UJS não teria conhecido muitos estados do nosso país, esta chance que para a maioria da juventude só os congressos proporcionam.

Na UJS aprendi que precisamos nos dedicar continuamente a nossa formação pessoal, pois como temos o objetivo do poder político, precisamos nos preparar cotidianamente pensando nisto. E este preparo é que irá nos fazer agentes mais precisos a combater o individualismo, a injustiça, a opressão, a exploração

A minha vida e da UJS hoje se misturam muito, na UJS conheci pessoas maravilhosas, pude entender o que são valores e saber identificar nas pessoas as características que são frutos destes valores. Por isto, tenho um olhar com menos ingenuidade sobre todos. Isto é um ganho emancipa tório imprescindível a qualquer ser humano. E os valores que a luta pelo socialismo carregam são em minha opinião os mais nobres que existem. Por causa disto, inclusive, acredito ter tido contato com tantas pessoas bacanas nesta minha trajetória na UJS.

Perceber que atuar na UJS é uma opção passageira na vida de um jovem (porque algum dia todos vamos deixar de ser jovens!) é algo muito difícil. A intensidade com que nos dedicamos é tanta que não nos permitimos parar e refletir nisto. Mas o tempo é implacável e quando menos esperamos este dia chega.

O que é interessante é que a luta da UJS é uma opção para toda a vida. E que justamente por isto, após a UJS um mundo de novas batalhas se abrirão em nossos horizontes dia após dia.

Agradeço carinhosamente a todos os militantes que atuei junto em minha trajetória. Tenho certeza que aprendi muito com todos.

Tenho a convicção que sempre serei da UJS, agora como um apoiador que irá ajudar nossa entidade sempre que for preciso. Enquanto houver o capitalismo no Brasil, a luta da UJS estará atual e necessária, portanto contem comigo.

20 comentários:

  1. É isso ai, Caborja!

    Mesmo porque juventude é um estado de espírito, não uma questão de idade!

    Sempre UJS!

    ResponderExcluir
  2. na verdade nao deixamos a UJS, passamos a outra etapa, mas pode ter certeza que ela estará sempre presente.
    boa sorte na "nova" luta, abraços

    ResponderExcluir
  3. Acredito que ser da UJS é acreditar no amanhã, acreditar que é possivel mudar nossa sociedade, vc deu muita contribuição na luta da juventude e vai continuar a dar mais, ta no sangue né..uma vez UJS sempre UJS!

    ResponderExcluir
  4. Caborja sinônimo de fidelidade, responsabilidade, amizade, companheirismo e festa (que não poderia faltar).

    ResponderExcluir
  5. Talvez posso dizer isso correndo o risco de ser leviano: A UJS é o maior instrumento de organização juvenil do mundo, são milhares de jovens organizados pelos 4 cantos de Brasil e uns punhados espalhados fora dele também. A UJS é uma organização que mantém acessa a chama do socialismo, e que faz enxergar nos mais esperançosos que lutar pela transformação vale a pena. Nessa sua trajetória pela UJS tenho certeza que uma parcela significativa de jovens a qual você teve contato tiveram essa esperança, mesmo que num horizonte mais futuro do que presente as vezes, um sonho pela causa do socialismo que será eterno em nossas vidas até o momento em quem consigamos pronunciar essa palavra. Valeu cara, para nós não tem essa de Bruno Prado, você sempre será o Caborja da UJS.

    ResponderExcluir
  6. O Caborja...caraca ele que me convenceu de militar nessa loucura chamada UJS, uma grande amigo e ajudador (apesar da grosseria!!!). Sempre contaremos com você, pode ter certeza que você é e sempre será um grande quadro dentro dessa organização. E como ja dizia o grande, "se você treme de indignação quando vê uma injustiça, então somos companheiros"...Sempre seremos companheiros!

    ResponderExcluir
  7. Puta merda! Até me emocionei com sua carta e com os comentários acima.. Sem palavras pra falar de vc enquanto parceiro na luta e incentivador da mudança (não só da sociedade, mas de cada um que militou com vc de alguma forma).. Com seu jeito peculiar, conquistou mtas pessoas pra UJS e pra vida.. e tenha ctz que pode contar comigo dentre esses. Um gde Abraço!..Copiando as palvras do Hobert: Caborja da UJS.

    ResponderExcluir
  8. Caro Camarada,

    Assim o chamo porque ainda queima em mim a chama da indignação por qualquer injustiça e ainda me aperta no estomago a fome daqueles que eu não posso nutrir.

    Nossos caminhos se cruzaram porque foi natural a atração dos ideais, mesmo que os meus menos amadurecidos que os seus me ensinou o caminho do ideal científico, da teoria baseada na história de homens que eu apenas admirava, e que aprendi a reconhecer nos camaradas mais próximos os mesmos predicados.

    Devo muito a você, devo muito a entidade que representa alguns ideais que ainda pactuo. Mas o distanciamento aconteceu porque para mim sobrava energia, mas faltava atenção a necessidade de regulação e autopreservação que a direção de uma entidade requer. Não me faltava unidade ao socialismo, mas me sobrava determinação e a determinação às vezes pode cegar também.

    Poucos camaradas perdiam tanto tempo discorrendo sobre o sentido da luta e poucos marcaram tanto a minha militância como você.

    Hoje nessa despedida, e nesse chamado que me pede para comentar, é sem nenhum esforço que as palavras partem para a ponta dos dedos e se não fosse a limitação de caracteres continuaria a falar.

    Mas o mais importante de tudo, e que foi capaz de ascender as chamas de idéias em peitos juvenis diversos e ainda o fará. E essa despedida é um até logo mais, novas lutas se abrirão e continuará a inspirar o melhor em todos..

    Um forte abraço,

    ResponderExcluir
  9. é isso aí Caborja, na UJS a gente supera a barreira do som mas, vc ainda tem a velocidade da luz pra alcançar

    ResponderExcluir
  10. difícil comentar... a UJS perde um grande guerreiro, acho uma pena sua despedida, vc é ainda muito jovem... minha hora tb está chegando... mas eu fiquei até a última ponta....rs Parabéns Caborja... Viva a luta pelo Socialismo...

    ResponderExcluir
  11. Camarada, e grande referência, Caborja, embora faça minhas suas palavras, e entender a poesia do momento, ressalto, só existe mesmo uma despedida real, a morte, no demais, segue a vida, e sua sina de proletário, e de luta, que só tem a perder "os grilhões"... Reitero aqui minha admiração revolucionária, e disposição, para as batalhas, e para o avanço das trincheiras... Grande Abraço! Lee

    ResponderExcluir
  12. Saudações meu caro e bom amigo Bruno, que inclusive é o responsavel pela minha filiação a UJS, lembro como se fosse ontem quando vc apareceu lá na faculdade para falar do congresso da UEE, e pude acompanhar todo o processo de sua história que resultou acredito em uma das maiores obras da sua vida que é seu filho, (graças a sua furada de olho em minha atuação rs rs rs), mas o bom de tudo isso é olhar para trás e ver que valeu a pena caro amigo, boa sorte nessa nova etapa da sua vida que com certeza ja deixa uma história de sucesso na UJS que vai lhe servir para o resto da sua vida como seu maior legado, abraços fraternos do amigo de Ribeirão Fábio Sardinha...

    ResponderExcluir
  13. Como diria o grande filosofo..
    " Se você é jovem ainda, jovem ainda, jovem ainda. Amanhã velho será, velho será, velho será. Ao menos se o coração, se o coração sustente. A juventude que nunca morrerá ... "
    Então tu sempre sera UJS
    E agora vizinho de interior...
    Abraços
    E sucesso na nova fase de militancia

    ResponderExcluir
  14. Bruno...

    A gente deixa a UJS, mas a UJS nunca nos deixa. Militar na UJS é ter tatuado no lado esquerdo do peito a solidariedade, o companheirismo, a combatividade, a coragem, a ousadia e a irreverência. Que a sua nova tragetória seja marcada por muito sucesso e realizações na minha terra mais que querida!

    O Vale te acolherá com suas belas montanhas e sua gente tão generosa.

    Beijos
    Jessica

    ResponderExcluir
  15. Bem vindo à maturidade, aos novos desafios, a busca de novas bandeiras e aquela sensação de que deixamos algo por fazer. A UJS segue o caminho dela e nós que passamos por ela seguimos o nosso. Foi uma escola e tanto e muito do que me constitui hoje devo à ela. Que esse novo período seja marcado por grandes realizações e crescimento pessoal, e Viva a União da Juventude Socialista!!!

    ResponderExcluir
  16. SALVE CAMARADA
    OBRIGADO E PARABENS PELA CONTIBUIÇÃO NA UJS, TODOS OS COMPANHEIROS COM CERTEZA , SEMPRE VÃO SE LEMBRAR DE SUA ATUAÇÃO, COMPANHEIRISMO E ESPIRITO AGUERRIDO.
    MAS BOA SORTE NA NOVA CAMINHADA, QUE ESTEJA FIRME E FELIZ.
    VALEW CABORJA
    QUANTO A SAUDADES, NEM ESPERE ISSO, A UJS AINDA VAI ESTAR COM VC. RSRS

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Grande Bruno,

    quero dizer que foi um prazer poder ser uns desses que te conheceu na UJS, com certeza foi um período que muito marcou a minha vida, a juventude passa, mas a luta o estado de espírito e o ideal o acompanham para sempre!

    Saudações Camarada!

    Pacheco

    ResponderExcluir